quinta-feira, 31 de janeiro de 2008

Pessoas, yach

No filme Gladiador, com o Russell Crowe, Derek Jacobi, no papel de Gracchus, fala para outro senador: "I do not pretend to be a man of the people, Senator. But I do try to be a man for the people." Na época, achei bonito e verdadeiro.

Ontem, assistindo o seriado House, a idéia me voltou à mente. O Dr. House é um médico excêntrico, que não gosta de falar com os pacientes e faz diagnósticos certeiros com métodos bem pouco ortodoxos. Ele é brilhante, mau-humorado, e o melhor médico do hospital. Com seu conhecimento e intuição, salva vidas. "O que vocês preferem: um médico que segura sua mão enquanto você morre ou um que fique à distância enquanto você melhora?", diz ele. O humor, o cinismo, a honestidade.
Assim como o senador Gracchus, o Dr. House é um verdadeiro humanista.



(e não é a cara do Scotto?)

quarta-feira, 23 de janeiro de 2008

Mudar faz bem




"O maior sinal de insanidade é fazer a mesma coisa, dia após dia, e esperar resultados diferentes."

Frase atribuída a Einstein citada por Oscar Motomura, diretor geral da Amana-Key, na Época Negócios desse mês.

segunda-feira, 21 de janeiro de 2008

Xerox de graça



A solução para a briga pelo preço do xerox nas faculdades pode estar prestes a acabar. No Japão, a Tadacopy oferece cópias grátis para os estudantes. Para viabilizar a história, anúncios são impressos na parte de trás do papel, que é mais grosso que o normal para impedir que os anúncios atrapalhem a leitura. Os estudantes adoram a novidade por lá. Em Utrecht, uma idéia parecida decolou: a StudyPrint. Após se registrarem com o e-mail da universidade, para provar que são mesmo estudantes, eles podem fazer uploads e pegar as cópias na impressora, ou levar os próprios arquivos em um pen drive para imprimir. Maravilha. Mas será que pegaria com os estudantes daqui? Que eu me lembro das épocas de faculdade, tem uma turma super anticapitalista e contra-tudo-que-está-aí que talvez não curtisse a idéia de ter o capitalismo dentro das universidades.

domingo, 20 de janeiro de 2008

Perfect Pitch

Estive lendo Perfect Pitch: The Art of Selling Ideas and Winning New Business, do John Steel. Planejador em agências de propaganda, Steel tem uma prosa arejada, argumentos contundentes e tiradas humorísticas na melhor tradição britânica. O livro traz incontáveis lições que servem não só para publicitários, mas para todos que precisam fazer apresentações na vida. Uma, especificamente, não me sai da cabeça:

Não importa o que você diz, mas o que as pessoas ouvem.

Vale para apresentações. Vale para a vida.

quinta-feira, 10 de janeiro de 2008

Feliz 2008














O Lombardi deu a dica, que ele tirou do Caversan. Acho bonito. E repasso.